Estamos No:

estamos no google news

Tradicionalmente, os K-dramas mantêm uma linha mais conservadora. Entretanto, essas obras específicas, notórias por seus temas polêmicos, conseguiram causar alvoroço ou desagrado entre os telespectadores.

Nas últimas duas décadas, os dramas coreanos (K-dramas) experimentaram uma explosão de popularidade, alcançando uma audiência global graças a plataformas de streaming como Netflix, que não só disponibilizaram uma vasta gama dessas séries internacionalmente, mas também investiram na criação de suas próprias produções exclusivas. Títulos como “A Lição”, “Alquimia das Almas”, “Uma Advogada Extraordinária”, “Round 6” destacam-se por sua variedade, abrangendo gêneros que vão desde ficção histórica a histórias de terror, passando por romances fantásticos, thrillers pós-apocalípticos, aventuras de viagem no tempo e comédias românticas. Essas séries são aclamadas por suas narrativas envolventes, personagens carismáticos, figurinos impecáveis, direção de arte vibrante, diálogos cativantes e o cuidado minucioso com detalhes simbólicos.

Apesar de sua natureza predominantemente conservadora e aparentemente inofensiva, quando comparados com produções ocidentais, certos K-dramas acabaram gerando controvérsias, provocando debates e críticas tanto antes quanto após seus lançamentos. Questões como a colocação de produtos de forma excessiva, controvérsias históricas, acusações de apropriação cultural, inclusão de cenas de sexo consideradas provocativas e referências consideradas insensíveis a doenças crônicas são apenas alguns dos motivos que levaram a reações negativas do público, seja na Coreia do Sul ou internacionalmente. Apresentamos aqui uma seleção de 10 K-dramas que, por esses e outros motivos, acabaram sob os holofotes e foram alvo de críticas por parte dos espectadores ao redor do mundo.

 10. Vinte Cinco, Vinte e Um

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2022
  • Disponível em: Netflix
  • Gêneros: Drama
  • Episódios: 16 Temporadas: 1

Vinte Cinco, Vinte e Um“, uma série romântica protagonizada por Kim Tae-ri e Nam Joo-hyuk, enfrentou críticas por sua abordagem de um relacionamento amoroso que envolve uma menor de idade. Apesar da pequena diferença etária de quatro anos entre os personagens, Na Hee-do, interpretada por Tae-ri, ainda cursava o ensino médio quando recebeu uma proposta de casamento. Adicionalmente, uma cena específica do episódio 15 gerou desconforto entre o público americano: enquanto o personagem de Joo-hyuk, o jornalista Back Yi-jin, reportava o atentado terrorista de 11 de setembro, Hee-do aparece sorrindo ao vê-lo na televisão. Essa representação foi vista como insensível por rememorar um evento trágico que continua sendo uma memória dolorosa para as vítimas e seus familiares, além de utilizar tal momento para desenvolver a trama amorosa dos personagens de forma questionável.

9. Narco-Santos

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2022
  • Disponível em: Netflix
  • Gêneros: Suspense, Drama, Ação, Aventura
  • Episódios: 6 Temporadas: 1

Uma minissérie de seis episódios que encontra inspiração em “Narcos” e “Narcos: México” da Netflix e se fundamenta em eventos reais, conta a história de Kang In-gu (interpretado por Ha Jung-woo), um comerciante que se vê obrigado a se aliar ao Serviço Nacional de Inteligência para capturar Jeon Yo-hwan (interpretado por Hwang Jung-min), um notório narcotraficante da Coreia do Sul com operações no Suriname. A representação desfavorável do Suriname levou ao levantamento de objeções formais por parte de seu governo. Segundo informações do The Hollywood Reporter, o ministro das Relações Exteriores surinamês, Albert Ramdin, expressou descontentamento com a imagem negativa projetada pela série, argumentando que o Suriname já não se identifica nem se envolve com as atividades ilícitas retratadas na trama.

8. Sr. Rainha (Polêmicos)

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2020/2021
  • Disponível em: Netflix
  • Gêneros: Drama, Fantasia, Comédia romântica, Época
  • Episódios: 20 e 2 Temporadas: 2

Protagonizada por Shin Hye-sun no papel da rainha Cheorin e Kim Jung-hyun como o rei Cheoljong. A trama se desenrola em torno de uma rainha cujo corpo é inesperadamente habitado pela alma de um homem da era moderna. Esta peculiar troca de identidade de gênero já era motivo de estranhamento, mas a indignação de cerca de 700 espectadores que apresentaram queixas à Comissão de Padrões de Comunicações da Coreia se deu principalmente pela maneira como os Registros Verídicos da Dinastia Joseon, um patrimônio histórico nacional, foram desprezados e comparados a um “simples tabloide” na narrativa. Além disso, o autor do romance chinês que serve de base para a série tem uma reputação controversa por retratar frequentemente seu próprio país de forma negativa.

7. Backstreet Rookie

“Backstreet Rookie” provocou um alvoroço significativo e resultou em mais de 7.000 queixas enviadas à Comissão de Padrões de Comunicações da Coreia logo após a transmissão de seus episódios iniciais, devido à forma como retratava a objetificação de mulheres jovens. Adaptada de um webtoon homônimo e protagonizada por Ji Chang-wook no papel de Choi Dae-hyun e Kim Yoo-jung como Jung Saet-byul, a série é uma comédia romântica que explora o relacionamento entre uma jovem que assume um emprego noturno em uma loja de conveniência e o gerente mais velho, desenvolvendo-se um romance entre eles. A Comissão de Padrões de Comunicação da Coreia agiu prontamente, emitindo uma advertência à SBS TV por veicular conteúdo considerado provocativo e inadequado, levando à remoção de algumas cenas específicas posteriormente.

6. Round 6

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2021
  • Disponível em: Netflix
  • Gêneros: Terror, Suspense
  • Episódios: 9 Temporadas: 1

O aclamado e controverso thriller de sobrevivência “Round 6“, oferecido pela Netflix, apresenta um macabro torneio de jogos infantis disputados por adultos em situação financeira precária, onde o preço final é a própria vida. A despeito de seu estrondoso sucesso mundial e reconhecimento pela crítica, a série enfrentou algumas questões delicadas. Um dos problemas surgiu quando utilizou-se um número de telefone real em um cartão de visita dentro da trama, o que resultou em uma avalanche de ligações e mensagens de espectadores para um indivíduo que nada tinha a ver com a produção. Quando a Netflix sugeriu que ele trocasse seu número, o homem protestou, alegando que o número era essencial para o seu negócio. Segundo o Korea Times, outra vítima de trotes, cujo número diferia em apenas um dígito do mostrado na série, expressou seu desespero nas redes sociais diante do assédio constante. Para mitigar o problema, a produção optou por editar as cenas que mostravam o número.

Outro aspecto que gerou desconforto foi uma cena explícita de sexo no banheiro, envolvendo os personagens Han Mi-nyeo, interpretada por Kim Joor-yeong, e Jang Deok-su, vivido por Heo Sung-tae, que não foi bem recebida pelo público conservador da Coreia do Sul. Ademais, a série foi alvo de críticas por parte de alguns espectadores que consideraram seu conteúdo excessivamente violento e gráfico, questionando a necessidade de tais elementos na narrativa.

5. A Cobertura

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2020/2021
  • Disponível em: Netflix, Viki, Kocowa
  • Gêneros: Mistério, Suspense, Drama
  • Episódios: 21, 13 e 14 Temporadas: 3

Um aclamado thriller que explora a sede de vingança entre famílias abastadas residentes no luxuoso Palácio Hera e seus descendentes na Escola de Artes Cheong-ah, enfrentou críticas por suas representações ousadas. Na terceira estação da série, uma figura chamada Alex, interpretada por Park Eun Suk, aparece exibindo tatuagens faciais, dreadlocks, dentes dourados e uma quantidade significativa de joias, além de adotar expressões típicas do vernáculo afro-americano. Esse retrato foi denunciado como um caso de apropriação cultural e, por alguns, até mesmo racismo, por uma parte do público internacional. Em resposta às reações, o ator se desculpou publicamente em suas plataformas de mídia social, levando os produtores a alterar sua estética e comportamento na série.

Outro ponto de controvérsia envolveu a incorporação de imagens reais de desastres, especificamente um clipe noticioso do terremoto em Pohang em 2017 e do colapso de um edifício em Gwangju em 2021. As críticas vieram principalmente de familiares das vítimas desses eventos trágicos. Diante das reclamações, a emissora SBS decidiu remover as referidas cenas do drama.

4. Fiel ao amor

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2023
  • Disponível em: Prime video
  • Gêneros: Comédia Romântica
  • Episódios: 14 Temporadas: 1

Fiel ao amor“, conhecida em outra tradução como “Bo-ra! Deborah”, é uma série que traz Yoo In-na no papel de uma conselheira amorosa e influenciadora digital. No entanto, o drama enfrentou críticas severas por conta de um comentário feito no episódio nove, onde a protagonista faz uma comparação infeliz entre a dedicação à aparência pessoal e as ações desesperadas de sobreviventes no trágico campo de concentração de Auschwitz. Ela menciona que, mesmo nas mais adversas condições, havia quem se esforçasse para manter algum senso de normalidade utilizando recursos mínimos para higiene e aparência pessoal, sugerindo que cuidar de si é fundamental para a sobrevivência. A analogia foi recebida com indignação por trivializar um dos capítulos mais sombrios da história humana, sendo considerada insensível e inadequada. A equipe de produção do programa prontamente se desculpou, admitindo que a referência histórica deveria ter sido tratada com mais cuidado e precisão, e expressou arrependimento por qualquer impressão de desrespeito às tragédias históricas, reiterando que não era essa a intenção.

3. Joseon Exorcist

Indisponível no momento

“Joseon Exorcist”, um drama que mistura elementos sobrenaturais com o cenário histórico de Joseon, enfrentou forte rejeição logo após a exibição de seus dois primeiros episódios. A presença excessiva de elementos culturais chineses, incluindo objetos de cena, alimentos e bebidas, junto a erros históricos, gerou desconforto e descontentamento tanto entre o público quanto entre críticos. Como resultado, patrocinadores retiraram seu apoio financeiro e uma petição online com mais de 156 mil assinaturas foi organizada, exigindo a suspensão da produção. Atendendo às críticas, a emissora decidiu cancelar “Joseon Exorcist” em 6 de março, sem concluir as gravações previstas para a série.

2. Snowdrop

  • Indisponível no momento

“Snowdrop”, uma série que combina elementos de drama, romance e ação em um cenário sombrio de 1987, contou com a participação de Jung Hae-in, Jisoo do BLACKPINK e Yoo In-na, e foi transmitida pela JTBC de dezembro de 2021 a janeiro de 2022. Desde o início, a trama provocou controvérsias por se alicerçar no período turbulento da luta pela democracia na Coreia, centrando-se na história de amor entre um espião da Coreia do Norte e o jovem estudante sul-coreano que o acolhe. A representação romantizada dessa relação e a abordagem simpática de um personagem que seria considerado um adversário nacional levaram mais de 200 mil pessoas a assinar uma petição exigindo o cancelamento da série, alegando que a mesma manipulava eventos históricos reais para se adequar ao seu enredo amoroso.

1. A Lição

  • Origem: Coreia do Sul
  • Ano / Lançamento: 2022
  • Disponível em: Netflix
  • Gêneros: Drama
  • Episódios: 16 Temporadas: 1

A Lição” (The Glory), uma produção da Netflix, causou alvoroço ao tratar de temas complexos como o bullying físico e psicológico, violência doméstica, abuso de drogas, desejo de vingança, traição, alienação familiar e abuso infantil. A abordagem direta e intensa desses assuntos delicados se alinhou mais estreitamente com os padrões de narrativa ocidental do que com o conteúdo tradicionalmente apresentado pela mídia sul-coreana. Além disso, uma cena específica no décimo terceiro episódio, envolvendo uma relação sexual e cenas de nudez entre a personagem Choi Hye-jeong, interpretada por Cha Joo-young, uma comissária de bordo, e Jeon Jae-joon, interpretado por Park Sung-hoon, o herdeiro de um clube de campo, foi criticada por ser excessivamente explícita.

Nossa Conclusão

Os dramas sul-coreanos discutidos, apesar de sua popularidade e inovação, enfrentaram críticas e controvérsias por temas sensíveis e representações problemáticas. Questões como apropriação cultural, insensibilidade histórica, e abordagem de assuntos delicados como violência e abuso foram centrais nas discussões. As reações negativas do público levaram a pedidos de cancelamento e ajustes por parte dos produtores, refletindo a tensão entre liberdade criativa e responsabilidade social. Essas situações evidenciam o impacto cultural dos K-dramas e os desafios de abordar temas complexos de maneira respeitosa, destacando o papel significativo do entretenimento na sociedade contemporânea.

Não deixe de conferir:

Não perca as melhores recomendações dos Melhores Doramas e fique por dentro de tudo que acontece na viki rakuten.

Nóticias de Doramas Netflix.


Artigo anteriorOlá? Sou Eu!
Próximo artigoAlta sociedade
Redatora, sonhadora e eterna apaixonada pelas intricadas tramas de amor que só os doramas asiáticos sabem contar. Sou uma entusiasta da cultura asiática, explorando os mais envolventes dramas de romance que cruzam continentes para tocar corações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui